Carta de nós dois.


Ela: É engraçado quando me pego pensando em nós dois, na nossa história, no tempo em que estamos juntos. Tenho estado muito satisfeita por ”nós” ainda estar tão vivo dentro de mim. Nosso amor, amor que te dei e que só você me dá. Temos uma conexão tão forte, e isso me agrada. Você conhece cada defeito meu, mas se importa com o melhor de mim; Cada movimento meu, mas não se acanha; Cada mudança do habitual, mas se torna constante; Cada transformação que sofro, mas a acompanha. Você, você me acolhe de uma maneira única. Eu sinto necessidade sua. Você se tornou parte de mim. Li uma vez em um livro a seguinte citação: ”Seja qual for a matéria de que nossas almas são feitas, a minha e a dele são iguais”. Eu nunca me identifiquei tanto com uma coisa senão com essa frase, que se tornou tão nossa. Com você eu consigo sentir na pele o que Hardin sente por Tessa, o que Elizabeth sente por Sr. Darcy, o que Alex sente por Rose e o que eu sinto por você. É real, é sólido e imutável. As pessoas dizem não acreditar no amor, mas o que seria isso entre nós senão o próprio? O amor é um sentimento nobre, puro e capaz de suprir qualquer necessidade. Amor é algo que eu sinto por você, por toda a minha vida.

Ele: Muitas pessoas dizem estar amando, apaixonada, mas será possível amar ou se apaixonar por mais de 10 pessoas ao ano? Será que é mesmo um sentimento verdadeiro e mútuo? Bom, eu não sei, mas digo que a 3 anos atrás eu comecei um relacionamento, fiquei um pouco inseguro, pois seria o meu primeiro. Confesso que desde o momento em que comecei a namorar você não vejo um fim, pois pra que começar algo esperando um final?Por que limitar algo que pode prosperar? Por que não acreditar na perenidade desse amor? Talvez seja por isso que tantas pessoas namoram e separam, como quem troca de roupa, elas não dão chance ao para sempre. Sei que somos bem diferentes e eu um pouco estressado, mas ao lado dela tudo é esquecido, toda incerteza, insegurança e medo ficam guardados, como se ali estivesse meu Porto Seguro, e está. Foi conhecendo a ela que me conheci, cada coisa única que fazemos, não imagino fazer com mais ninguém e por que? Porque quando a gente acha a pessoa da nossa vida e se acha nela, todo resto é resto. É por isso que hoje eu só preciso dela para ficar satisfeito. Ela é o amor que me basta. 

– por Paula Ribeiro e Victor Bechtinger.

Anúncios

16 comentários em “Carta de nós dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s